Fronteiras Invisíveis do Futebol

Fronteiras Invisíveis do Futebol #85 Macedônia

OUÇA O PODCAST

Црвени Рисови

Fomos até o mais novo velho país do mundo, uma mistura de gregos, búlgaros, albaneses, romanos, sérvios, resultando na disputa pelo próprio nome do país, considerado patrimônio cultural pela Grécia e vetado por décadas, até o acordo assinado em 2018.

Os motivos dessa briga, quem estava ali antes disso, um sítio arqueo-astronômico, as capitais históricas, as guerras mundiais, você vai entender toda essa trajetória. Tudo isso temperado com um pouco do futebol macedônio e seu principal craque, com larga trajetória no futebol italiano, e que empresta o nome ao atual campeão da Copa nacional.

Posts Relacionados

10 comentários em “Fronteiras Invisíveis do Futebol #85 Macedônia”

  • Leonardo Gomes da Silva disse:

    Sempre interessante o programa. Por curiosidade fui procurar jogadores de basquete nascidos no Norte da Macedônia e o mais conhecido pelo que pesquisei foi o Pero Antic, que foi Tri Campeão da Euroliga de Basquete (2012 e 2013 pelo Olympiakos e 2017 pelo Fenerbahce) e jogou no Atlanta Hawks de 2013 á 2015, hoje ele joga no Estrela Vermelha.

    Uma idéia e cobrança de programa com parceria do MMa Brasil é um Fronteiras Invisíveis do MMA sobre o Daguestão, no qual só soube onde ficava e um pouco de sua existência por causa do Campeão dos Pesos Leves do MMA Khabib “The Eagle” Nurmagomedov. De lá sai mais lutador de MMA do que pão quente de padaria, além disso deve ser uma região com muita história, parabéns pelo programa.

  • JOAO FABIO DE OLIVEIRA BRUNO disse:

    Foi bem legal ouvir o Carlos Augusto no podcast que ele sempre me falou. Como ele e Leandro, vulgo Monolito, sabem não entendo nada de futebol, mas gosto muito do programa. Voto por uma coluna de turismo nas localidades dos programas.

    Um grande abraço a todo a todos.

  • Paulo Peiker disse:

    Pessoal, só um apontamento: vocês comentaram que a Albânia é o único país europeu majoritariamente muçulmano. A Bósnia e Herzegovina também é, por uma maioria mínima.

    Continuem com o ótimo trabalho, abraços!

  • Complementando o que o Paulo falou ali em cima, sobre a Bósnia e Albânia, se considerarmos o Kosovo como país independente (de fato é; de direito há controvérsias), temos um terceiro país de maioria muçulmana. E se considerarmos Turquia, Azerbaijão e Cazaquistão (em que partes de seus territórios ficam na Europa, sob o ponto de visto geológico, e cujas seleções jogam na UEFA), teremos, no total, seis países de maioria muçulmana

  • Renato Carvalho disse:

    Comentando sobre o episódio de Ruanda onde vocês recomendaram o livro “Gostaríamos de informá-lo de que amanhã seremos mortos com nossas famílias” com a observação de que não tiveram coragem para ler. Não é, claro, uma leitura fácil, mas também não é mais difícil do que tantas sobre a segunda guerra. Vale a pena.

  • José Carlos Junior disse:

    Melhor podcast de História e Geopolítica!

    Eu estava achando que vocês fossem dar uma passada rápida pelo esporte mais tradicional da Iugoslávia: o basquetebol. Em vista do extinto país ter sido 5 vezes campeão mundial masculino; claro, na parte do esporte, o predomínio é do futebol, né?! (Falando sobre o programa) Mas, como sempre, foi um enorme auxílio para mim (agora vou poder desenrolar um papo cabeça com as “crush”).

    Um abraço de urso aos envolvidos.

  • Leonardo Porto disse:

    Parabéns aos dois pelo programa, escutei apreensivo até vocês falarem o nome do Pandev, meu craque no PES 2011, 2012. Craque no meu ataque jogando pela ponta esquerda. Lembro me de na hora de montar um time com meus irmãos eles riram de mim, pois ganhei no sorteio e pude escolher antes o primeiro jogador, de cara escolhi o Pandev e nem pensei em Cristiano Ronaldo ou Messi, os dois riram, mas depois quem riu foi eu, pois eles não seguravam meu ataque com Pandev, Arshavin e Torres. Grande abraço.

  • Parabéns pelo Fronteiras, Xadrez e todo trabalho desenvolvido por vocês nas redes! É tudo sensacional e feito com muita maestria… Vi no Twitter algumas pessoas comentando que estavam com crise de abstinência por ouvir o Xadrez Verbal bem rápido e ficar o resto da semana “órfão”. Confesso que no início, com o Xadrez, ouvia em várias partes pra passar a semana toda (as vezes, como muitos reclamam, achava os programas longos demais). Hoje, chega no máximo a segunda-feira após o lançamento do Xadrez e já tenho concluído o programa. O que fazer com a abstinência? Ouvir o Fronteiras Invisíveis do Futebol. Creio que é um caminho que muitos seguiram… e fica a dica pra quem ainda não o fez. Só um aviso a quem seguir por esse caminho: É SEM VOLTA! [hahahaha] Massa que o Fronteiras, por não ser necessariamente sobre acontecimentos contemporâneos fica mais tranquilo de ouvir os programas antigos. Estou recomendando para todos os amigos, alunos, fãs de futebol… Saudações rubro-negras (Sport) e puxão de orelha no Matias que está ficando muito simpático ao Náutico (rsrsrs brincadeira). Mas quando vier ao Recife, faço questão de convidar o mesmo para ir a Ilha do Retiro e ficar simpático ao Leão.

Deixar um comentário para JOAO FABIO DE OLIVEIRA BRUNO Cancelar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar algumas tags HTML:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>