Xadrez Verbal

Xadrez Verbal #176 Tensão na Caxemira

OUÇA O PODCAST

A Índia atacou alvos dentro do Paquistão, alegando que eram campos de terroristas. Os paquistaneses revidaram contra o espaço aéreo indiano. A Índia atacou de novo, o Paquistão abateu um caça dos vizinhos e capturou o piloto, que foi libertado. E o mundo respira aliviado, já que armas nucleares. Só que ninguém diz o motivo da briga! Afinal, qual a importância da Caxemira, qual a origem dessa disputa?

Falando sobre tensão fronteiriça, voltamos para a Venezuela, onde Guaidó e Maduro continuam sua queda de braço, com a reunião do Grupo de Lima nessa última semana e a visita de Guaidó ao Brasil. Além de girarmos pela vizinha, fomos ao Vietnã, para mais uma cúpula entre Coreia do Norte e Estados Unidos, na qual Kim e Trump não chegaram em nenhum acordo. Culpa, talvez, de um bigodudo, além de algumas notícias internas dos EUA.

Posts Relacionados

15 comentários em “Xadrez Verbal #176 Tensão na Caxemira”

  • Thales Bandeira disse:

    Olá, pessoal do xadrez verbal. Além da tabela periódica, mendeleev (professor na faculdade de química de São Petersburgo) foi inventor se uma das mais famosas vodkas chamada Standart. Trarei uma pra vcs experimentarem kkk e ao comentário da clínica brasileira em São Petersburgo-existe uma clínica fundada por uma brasileira, dermatologista em São Petersburgo, minha veterana. Ela ainda deu aula na universidade médica estatal de Pavlov em São Petersburgo na dermatologia,alem de ter se formado com diploma vermelho e medalha de honra (a maior honraria pra um estudante russo). Forte abraço!

  • Sylvia Tamie disse:

    Oi! Não sei se a apreensão da cadelinha para pagar impostos foi legal (no sentido literal), mas “Edda” é um nome alemão antigo que, segundo algumas fontes, significa “propriedade”.

    • Sylvia Tamie disse:

      P.S.: A melhor versão de Cyrano de Bergerac é o livro juvenil A marca de uma lágrima, de Pedro Bandeira (e quem discorda está morto por dentro).

  • Olá Matias e Filipe. Sou estudante de Economia na UFPR, gosto bastante da coluna da professora Vivian Almeida. Peço desculpas, mas escuto o podcast na velocidade 1.2x. Confesso que tive um momento de reflexão sobre a minha rotina frenética no episódio 175. Achei muito engraçado, e de certa forma irônico, ouvir a música “Don’t worry be happy” na velocidade 1.2x. Forte abraço!

  • Allen Teixeira Sousa disse:

    Eu me declaro inocente do caso da cadelinha, bricadeiras a parte.

    É o seguinte a física que é parte da química, só que a física é a parte que não funciona, valeu falou, qualquer coisa que diga diferente disso é FAKENEWS.
    Abraços meus queridos

  • Ana Lucia Cunha-Busch disse:

    Olá amigos do Xadrez Verbal, primeira vez por aqui. Bem quanto à cadelinha é lamentável. Já vi o povo levar TV, rádio, celular, qualquer coisa de valor pra pagar as dívidas aqui na Alemanha, mas um ser vivo, nunca! Mas quem sabe no caso dela, foi sorte pra pequena, tomara! Quanto aos impostos, é lei federal, pago 120€ aqui na Baixa Saxônia pelo meu labrador George, que inclusive ouve Xadrez Verbal e Fronteiras comigo, enquanto cozinho ou passo roupa. Além do imposto, aqui no meu estado, temos que tirar carteira de habilitação para ter um cachorro, com prova teórica e prática a partir de 2011, não importa a raça do cãozinho, um caça níquel a mais para o governo, por outro lado, nos abrigos de animais não falta nada 😉 E não tenho o que reclamar daqui, 12 anos felizes, tranquilos e com impostos bem aplicados. Grande abraço! Mandem um abraço pra mim( Ana Busch) e pro George.

  • Wagner Santos disse:

    Saudações!! Muito obrigado pelo trabalho que vcs desenvolvem! Vcs são meus companheiros no trajeto diário para o trabalho, o trajeto Arapiraca-Igaci (AL) é mais curto e instrutivo!
    Já que vcs citaram o tradicional futebol alagoano, não seria a hora de um Fronteiras Invisíveis sobre Alagoas? Temos toda uma riqueza futebolística, ASA, CSA, CRB, CSE, CEO… compõem uma parte da sopa de letras de Alagoas; demos ao mundo nomes como Zagallo e Marta. Além disso, somos o berço de nomes centrais na formação da República, como os marechais Deodoro da Fonseca e Floriano Peixoto, e sempre temos nomes despontando na controversa história recente de nosso país.
    Fico na torcida para que meu lobby funcione!!
    Obrigado mais uma vez e… “UHH, ASA GIGANTE!”

  • Queria deixar aqui um a informação importante sobre o encontro de Trump e Kim Jong Un no Vietnã que vocês esqueceram de mencionar: Howard X, o sósia de Kim foi deportado antes que o encontro acontecesse, aparentemente por problemas de visto.

  • Rafael Sales Goncalves disse:

    Matias , sempre cheio de anedotas, deixou passar sobre a Thereza May: 1. Criar o quadro peão capturado ou 2. Criar o quadro sacrifício de dama.

  • Leticia Teixeira Palla Braga disse:

    Aguardando ansiosa a explicação no próximo podcast do motivo da Geografia ser parte da História.
    Lets Teixeira, Geógrafa, Mestre em Hidrogeologia, ouvinte de Cracóvia. <3

  • Carlos Tonhatti (Tomate) disse:

    Caros Filipe e Matias,

    Passei o Carnaval arrumando a nova casa depois da mudança e o xadrez verbal me fez companhia durante o processo de: montar moveis, desempacotar, instalar chuveiro, limpar, etc. Deu tempo para colocar em ordem os últimos 4 podcasts. Como o alto-falante do meu celular é fraco e não dá pra ficar com o fone de ouvido enroscando nas caixas e tomadas usei uma gambiarra que vi em algum lugar do Youtube. Coloquei o celular dentro de um caneca grande com a saída de som virada para baixo, a caneca de porcelana amplifica o som e assim dava pra ficar longe e não perder nada do conteudo.

    Minha esposa (Ana Paula) chegou a pedir para baixar em alguns momentos, pois, estava muito alto e os vizinhos estavam ouvindo também. Aliás, ao ouvir a piada que o Matias fez sobre o perfil da Melania Trump (parece flato) ela comentou “são muito bobos”.

    Ela é artista plástica e trabalha no Museu de Artes Visuais da Unicamp e ficou supressa com a história da treta entre a Itália e Franca pelo legado do Leonardo da Vinci.

    Obrigado me ajudar em momentos caseiros, continuarei ouvindo vcs pela caneca, quem sabe não apresento o Xadrez para mais gente desse jeito. Afinal, copos e canecas sempre foram ótimos para apresentar estranhos.

    um bjo a todos

Deixar um comentário para Rafael Sales Goncalves Cancelar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar algumas tags HTML:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>