Guilhotina | Le Monde Diplomatique Brasil

#85 – Juliana Borges

OUÇA O PODCAST

A situação das prisões diz mais sobre a sociedade brasileira do que ela gostaria de admitir. Essa constatação perpassa o ensaio lançado esta semana pela convidada de Bianca Pyl e Luís Brasilino, a escritora Juliana Borges. Consultora do Núcleo de Enfrentamento, Monitoramento e Memória de Combate à Violência da OAB São Paulo e conselheira da Iniciativa Negra por uma Nova Política sobre Drogas, ela lança mão da pandemia como um lupa para analisar a situação do sistema carcerário brasileiro na obra “Prisões, espelhos de nós” (https://bit.ly/2RWBpgM), parte da coleção Ensaios sobre a pandemia da editora Todavia. Conversamos sobre a necessidade de romper constantemente o silêncio que cerca o tema, as continuidades entre escravidão e prisão, os mitos da sociedade pacífica e da democracia racial brasileira, encarceramento em massa, a ineficiência do sistema carcerário para resolver conflitos, construção da figura do criminoso (quem decide o que é e o que não é crime?), política de morte, genocídio do povo negro, guerra às drogas, reforma do modelo de direitos humanos e abolicionismo penal. Não perca! *Links: Agência Pública, “Negros são mais condenados por tráfico e com menos drogas em São Paulo” (https://bit.ly/33R7YTe); “Justiça liberta Luiz Justino, jovem músico negro da Grota vítima de prisão arbitrária” (https://bit.ly/304vQSa); Infovírus, “A pandemia do confinamento: políticas de morte nas prisões” (https://bit.ly/2RZubsp). Trilha: Dexter, “Quebrando as algemas”; e Kendrick Lamar, “Alright”.

Posts Relacionados

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar algumas tags HTML:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>