A Bundesliga e a tecnologia: uma história de sucesso

O público brasileiro do futebol alemão tem, entre outras lembranças, a memória de uma câmera inovadora que, atrás do gol, dava um panorama do campo antes de cada tiro de meta, nas transmissões do começo dos anos 90, na TV Cultura. Hoje parece banal, mas na época não era. Campeonato de vanguarda dentro e fora de campo, a Bundesliga é consumida no Brasil a partir da certeza da sofisticação tecnológica. E a tecnologia, em 2020, está também no que não vemos.

Um artigo publicado pela casa de apostas online  Betway, mostra, por exemplo, que é possível calcular, dentro de uma mesma jogada, o quanto uma tomada de decisão aumenta ou diminui a chance de gol durante uma jogada. Um passe na hora certa, e temos 53% de chances do gol sair. Sem o passe, cai para 19%. São as estatísticas em camadas, e elas não são complexas: se estamos acostumados a contar o número de gols e o número de faltas, o trabalho duro dos matemáticos entrega resultados de simples interpretação, que ajudam na análise dos jogos e prognósticos.

O serviço chamado “Match Facts” , usado pela Bundesliga em parceria com a Amazon Web Services, vai trazer tecnologia de alta performance para a rotina de quem assiste futebol alemão. O cruzamento massivo de dados será capaz de gerar múltiplas tendências narrativas, e já coloca, mais uma vez, a Bundesliga no primeiro vagão da história. Como acontece noutras ligas de esportes diversos, como a NBA e a NFL, o futebol, em tempos de mediação tecnológica com o VAR e consumo em diferentes plataformas, terá no campeonato alemão uma tendência a se observar que vai muito além do excelente Bayern de Munique e sua equipe campeã da Europa.

Falando em VAR, aliás, o futebol alemão comemorou, no último ano, um número de 99,25% de decisões acertadas produzidas através desta tecnologia. Com 23 gols anulados e 13 pênaltis cancelados, além de 76 decisões invertidas, é possível afirmar que as possibilidades do vídeo repararam e ajustaram a trajetória de alguns clubes para os quais um ponto a mais ou a menos fazem, sim, uma diferença enorme. A matemática da pontuação final, portanto, é amparada, hoje, pela matemática da linha virtual de impedimento e de outras ferramentas. É com a mesma matéria-prima de estudo que se prevê, então, quando um movimento torna um gol comum ou raríssimo.

A Bundesliga é historicamente uma liga que pratica preços equilibrados de ingressos, respeita a cultura torcedora e as diferentes formas de público em uma mesma partida, além de proteger os clubes do avanço econômico de forasteiros. Isso dialoga com a renovação do trabalho técnico das equipes, e também se reflete em um ambiente favorável para a entrada orgânica dos dados e estudos que apoiem o jogo. E são, para se ter uma ideia, 40 mil finalizações guardadas em um banco de dados, só para que se calcule, com eles, as probabilidades de um gol sair em determinada jogada. É muita coisa.

Na Central 3 temos, toda semana, com Gerd Wenzel, o podcas Bundesliga no Ar. É lá que discutimos todas as rodadas e os destaques dos clubes alemães. E, mesmo que não saibamos, as análises que lá fazemos possuem influência dos estudos, dados e estatísticas que hoje envolvem este futebol. Um futebol sempre em desenvolvimento.


Posts Relacionados

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar algumas tags HTML:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>