Fronteiras Invisíveis do Futebol #38 São Paulo

05/07/2017 | por:

Assine o feed do Fronteiras!

Através do RSS. O programa também está disponível para DeezeriTunesPlayerFM, e Pocketcast.

Non ducor, duco

Por conta dos 85 anos da Revolução Constitucionalista, “viajamos” a São Paulo para conhecer a história do Estado mais populoso da Federação e onde foi disputada – segundo a História Oficial – a primeira partida de futebol no país.

Passamos pelos diversos ciclos econômicos da “Locomotiva do Brasil, sem ignorar a resistência das camadas populares, sejam elas populações nativas, escravos africanos ou imigrantes europeus.

Já em relação ao esporte bretão, abordamos os primeiros passos da elite paulistana à popularização da modalidade do Litoral ao Interior, promovida pelas ferrovias. Para tal, nossa dupla de apresentadores convidou o amigo corintiano Bruno Faria, para que o Trio de Ferro estivesse representado igualitariamente.

SIGA O XADREZ VERBAL

Acompanhe as publicações do site através do FacebookTwitter e Youtube.

Fronteiras Invisíveis do Futebol #38 São Paulo

Utilize o código abaixo

Ouça Leia Adicione à playlist Faça o download Insira na sua página

Utilize o código abaixo


8 Comentários »

  1. Sabe não percebi se vocês deram enfase aos Bandeirantes, tenho uma duvida, Bandeirantes eram só os paulistas? Por que o hino do meu estado tem o seguinte trecho:Nós, os Bandeirantes de Rondônia
    Nos orgulhamos de tanta beleza. Seria bandeirante um estilo de vida? Pelo que aprendi na escola, e pelo que percebi na vivência, Rondônia é basicamente colonizada pelos nordestinos/seringueiros, e pelos paulistas/mineiros/paranaenses, que vieram basicamente para viver de agricultura e desmatar a floresta.

    Pela primeira vez um programa com mais futebol do que história, ficou bom como todos os outros. E o corinthians só vai ser a maior torcida do Brasil quando mostrar a libertadores de 2000!

    Comentado por David Onezio — 6 de julho de 2017 @ 12:44

  2. Olá pessoal! Parabéns pelo excelente programa, como sempre!

    No entanto, como Flamengo, não posso deixar de ressaltar a puxada de sardinha que deram pro lado do convidado ao ressaltar o fato de terem meio que “desconsiderado” torcedores “não-puros” no compto do total de torcedores do rubro-negro carioca. Dois pontos:

    – Tal contabilidade também excluiria boa parte dos torcedores do alvinegro no estado de SP e fora dele. Como mineiro de Uberaba, posso dizer que a maioria lá é de Corinthians, mas que não deixa de torcer pelo Uberaba Sport Club ou pelo Nacional Futebol Clube

    – Há muitos anos respondi uma dessas pesquisas de opinião e a pergunta era mais ou menos: “qual o seu time de preferência” e não “quais seus times de preferência”. Ou seja, só poderia haver um.

    Mesmo sendo Flamengo, reconheço que essa obsessão pelo tamanho da torcida é meio boba e não deveria influir na paixão pelo clube, mas é um negócio meio entranhado na nossa cultura.

    No mais, continuem o excelente trabalho e parabéns pelo jabá, fiquei mó feliz quando ouvi, hehe.

    Comentado por Reyderson — 7 de julho de 2017 @ 6:44

  3. Ouvindo o último Fronteiras, no que comentaram sobre a conurbação Campinas, São Paulo, Santos, Vale do Paraíba e Rio de Janeiro, o processo de conurbação de diferentes regiões metropolitanas é a formação de uma Megalópole, como já são casos dos EUA da Bos-Wash, San-San e Chi-Pitts, assim como no Japão na ilha de Tokkaido.
    Uma dica para todos os Fronteiras Invisíveis no Brasil é o livro “Quando o futebol andava de trem: memória dos times ferroviários brasileiros”, de Ernani Buchmann
    OBS: Poderiam dar um destaque maior para o Vale do Paraíba, rivalidades Taubaté (Burro da Central) e São José (Águia do Vale), grande abraço e mais respeito pelo Santos kkkkk

    Comentado por Filipe Assunção — 8 de julho de 2017 @ 12:46

  4. Gostaria de enviar um fax com alguns documentos para a Central 3, mas estou com dificuldades em encontrar o número no site.

    Comentado por Gabriel Protski — 12 de julho de 2017 @ 14:15

  5. Pô, não falaram do América, o time do interior com maior parricipacõed seguidas na A-1. Hoje jogando a bezinha, o time não chama atenção mas tem valor histórico. Mas entendo que não cabe tudo em um único podcast.

    Comentado por José Bilar — 14 de julho de 2017 @ 21:19

  6. https://esporte.uol.com.br/futebol/listas/o-que-voce-precisa-saber-sobre-o-tamanho-das-torcidas-em-sao-paulo.htm
    Não existe nenhuma pesquisa de torcida que aponte a torcida do Flamengo como maior que a do santos na capital ou no estado inteiro. Isso parece ser uma lenda urbana.
    Não há muitas pesquisas específicas de torcidas por cidade. Mas saiu uma bem recente (fevereiro 2017) do data folha.
    Ela indica Santos 5%, Flamengo 2%. Claro que não é muito conclusivo, pois há margem de erro. Mas como eu disse antes, não há nenhuma pesquisa que mostre o Fla como 4a maior torcida.
    Sei que foi um comentário un-pasant do Filipe, mas vocês são produtores de conteúdo, né (e bom conteúdo no geral). Informação errada.
    E só pra deixar uma alfinetada nos palmeirenses, essa mesma pesquisa mostrou que se existe um “time dos vovôs”, pelo menos em Sampa capital, esse time é o Palmeiras e não o Santos.

    Comentado por Luciano dos santos — 20 de julho de 2017 @ 20:09

  7. Um mês sem Fronteiras?… Abstinência total!

    Comentado por André Soares — 3 de agosto de 2017 @ 15:55

  8. Sou frequentadora do distrito de Paranapiacaba em Santo André, não foi só de uma pessoa que já ouvi esta história. O primeiro campo oficial de futebol no Brasil é o Charles Miller (nome posterior a fundação do campo) localizado na Vila, inaugurado um ano antes da partida da Várzea do Carmo, em 1894, os registros estão na vila. Como Paranapiacaba era uma vila inglesa não dúvido que o primeiro jogo, com regras oficiais e estádio oficial, tenha sido realizado na vila histórica.
    Numa visita em 2011 tive a oprotunidade de cobrar um penalti no campo onde jogava uma garotada, ainda está abandonado, infelizmente, já que o atual governo não enviou mais o dinheiro do PAC.
    Encontei esta matéria sobre: http://nilodiasreporter.blogspot.com.br/2014/01/ofutebol-brasileiro-comeca-por.html

    Comentado por Claudia Du — 7 de agosto de 2017 @ 14:24

RSS feed para comentários desse post. TrackBack URL

Deixe seu comentário

Últimos podcasts
Posts mais lidos do blog
armario
Aquele Zé em seu armário fumê
11/10/2017

Zé não é o problema. Zé a vítima




deserto_0
Cinema e Teatro se fundem em “Deserto”
02/10/2017

Filme marca a estreia de Guilherme Weber na direção




Acesse também
ZNORADIO102
16/10/2017

Futebol, música e bom papo com José Trajano







Ouça Leia Adicione à playlist Faça o download Insira na sua página

Utilize o código abaixo

Catalunha
13/10/2017

Outra aula da nossa professora favorita de Direito Internacional!







Ouça Leia Adicione à playlist Faça o download Insira na sua página

Utilize o código abaixo

Canario Garcia
13/10/2017

Charlamos com o jornalista uruguaio Sebastián Chittadini!







Ouça Leia Adicione à playlist Faça o download Insira na sua página

Utilize o código abaixo

24245B25-AB34-41F3-AC7F-6BE67D18071C-10176-000004DF45D40728
13/10/2017

Dez músicas, 20 histórias.







Ouça Leia Adicione à playlist Faça o download Insira na sua página

Utilize o código abaixo

IMG_8238
12/10/2017

Para o dia das crianças!







Ouça Leia Adicione à playlist Faça o download Insira na sua página

Utilize o código abaixo

1396630378_269704_1396630461_doscolumnas_normal
12/10/2017

Ficou na memória e mostrou Xabi Alonso.







Ouça Leia Adicione à playlist Faça o download Insira na sua página

Utilize o código abaixo

Central 3 Redes Sociais
Open Mostrar player