Lado B do Rio

Lado B do RJ #91 Marighella

OUÇA O PODCAST

O Lado B do Rio #91 está especialíssimo com o jornalista e escritor Mário Magalhães, autor da biografia “Marighella, o Guerrilheiro Que Incendiou o Mundo”. No papo, as origens, o ativismo político e a luta armada de um dos maiores revolucionários do século passado. Também a repercussão do lançamento do filme sobre o guerrilheiro, baseado no livro. E no Terror do Baile, o ex-secretário geral da Presidência que deu uma de marido traído e lamentou por aí o amor perdido pelo capitão. Imperdível!

Posts Relacionados

2 comentários em “Lado B do RJ #91 Marighella”

  • Leonardo Gomes disse:

    Bom programa camaradas e obrigado pelo abraço coletivo para os funcionários da Ford.

    Queria comentar rápido sobre isso pois tanto a grande mídia como a mídia alternativa (o que me decepciona mais ainda). Conversando com os amigos que trabalham na Ford, o sentimento que todos tem além de tristeza há um sentimento dos últimos anos de abandono não só da esquerda aos operários fabris como dos sindicatos que se tornaram pelegos do patrão. A cidade virou um dormitório cheio de prédios vazios para especulação imobiliária e cheio de gente desempregada, fudida e que mora na rua.

    Ai quando eu vejo essa esquerda que caga com os dedos em redes sociais falando merda, não só eu como os trabalhadores e famílias de São Bernardo ficam putas da vida pois esses filhos da puta que só ficam na porra da do conforto da Vila Madalena e bairros nobres descolados que só olham para o seus iphones mas ignoram os mendigos da Paulista (essa cena eu vejo toda vez que vou naquela avenida de merda) nunca colaram aqui e mesmo os líderes dessa esquerda intelectual do caralho só apareceu aqui no discurso do Lula, nem sabe como chegar aqui. Sobre esse caso do Haddad e Manuela quando vieram a fábrica, eles foram bem recebidos, porém despejaram a reclamação de anos de abandono á seu movimento quanto aos abusos dos patrões, não dava para despejar com amor sendo que você só se fode. Isso se extende aos caminhoneiros, pois aqui há muitas transportadoras e caminhoneiros que se fodem na estrada jogados aos relento e tiveram que ler na internet esses filhos da puta falarem que os caras eram pelegos de patrão. Não é a toa que o esperma de hitler teve muitos votos aqui, porque o lugar da esquerda aqui que sumiu foi ocupada pelas igrejas neo pentecostais e extrema direita, isso esses merdas inteclectuais metidos a progressistas não perceberam até agora, é o que Mano Brown falou sobre dialogar com a base, não ficar na porra do twitter e instagram, por sinal, bloqueei a maioria desses caras pois não sou obrigado a ler merda deles. As únicas três figuras de esquerda que aparecem por aqui com mais frequência é o Boulos e seu Eduardo Suplicy nas ocupações e dona Erundina que sempre se interessou nas mulheres de regiões carentes (aliás, fica a ideia, entrevistem ela, a maior poilitica do sexo feminino da história desse país). Fora os três, ficamos abandonados nos últimos anos.

    Por isso quero fazer dois pedidos porque vocês são a esquerda que não tem nojo de povo e de pessoas religiosas com sinceridade (evangélicos, católicos, espiritas, ubandistas etc.) façam um dia o Lado B do Rio em alguma associação de comunidade ai no Rio e dialoguem com o povo perguntando sobre seus problemas, o que eles querem e seus desejos, medos e raivas, de verdade vocês tem carater e condições para falar com o povão.

    Segundo, não quero mandar um abraço, e sim um Vai tomar no Cu em audio para um Vendedor que presta seviço na empresa onde trabalho: Odair Pacheco, Cristão de Araque, você que disse que fechando a Ford ela viraria condomínio para vender seus produtos e a classe média ficar em seu castelinho, tirando os pobres da região, VAI TOMAR NO SEU CU BOLSOMINION DO CARALHO.

    Favor falem isso que ele vai ouvir no meu trampo, não vai rolar justa causa, relaxem. Um abraço e desculpem o desabafo!

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar algumas tags HTML:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>