SDT Na Bancada #21 Memória & Justiça

No final do mês passado, os clubes argentinos repudiaram em uníssono o aniversário do último golpe militar no país vizinho. Por aqui, silêncio na semana seguinte. Ou pior: o Flamengo, por exemplo, desautorizou uma homenagem de um coletivo de sócios a Stuart Angel, ex-atleta rubro-negro que foi preso, torturado e morto.

Afinal, por que vemos posições tão covardes em relação à Ditadura Militar e o desprezo aos direitos humanos no futebol brasileiro? Lembrando que o CRF também permitiu que o deputado estadual Rodrigo Amorim (PSL-RJ) – aquele mesmo que destruiu uma placa em homenagem à Marielle Franco, outra flamenguista executada – participasse da comemoração da Taça Rio.

Nesta edição, tivemos as participações da jornalista Hildegard Angel – irmã de Stuart e filha de Zuzu, também assassinada pelos militares; do historiador Lucas Pedretti, ex-membro da Comissão Estadual da Verdade do Rio de Janeiro; e da professora Lívia Magalhães (UFF), que trouxe outra mirada sobre o Mundial de 1978, além de recuperarmos um trecho da entrevista das Madres da Plaza de Mayo a jornalistas holandeses, às vésperas da Final daquele ano.

Posts Relacionados

SDT Na Bancada #17 Privatizar e Proibir em SP

São Paulo é o túmulo das torcidas, vanguarda das proibições inúteis e outras medidas inócuas no combate à violência. O que não quer dizer que seja a única cidade/estado a cercear a cultura torcedora.

Nossa bancada formada por Gabriel Brito, Irlan Simões, Matias Pinto e Nico Cabrera rodam pelas canchas de Argentina e Brasil para discutir desde a proibição da venda de choripán e cerveja, passando pela privatização do Pacaembu e a selvageria da Brigada Militar contra torcedoras do Inter, além de atualizar pautas já debatidas como a elitização do Allianz Parque, torcida única etc.

Posts Relacionados

SDT Na Bancada #16 Pode vir 2019!

A expectativa não é das melhores, mas estamos atentos e fortes para este ano que já começa cheio de armadilhas para os torcedores; de polícia que causa mais problema que T.O. à cartola que não entende nada de futebol, muito menos arquibancada.

Gabriel Brito, Irlan Simões e Matias Pinto receberam a “visita” de Gil Luiz Mendes para tratar de várias pautas cabeludas: torcida única no AthleTiba, a volta do Náutico aos Aflitos, o spray pimenta da PM-PE na Ilha do Retiro, os planos de Witzel para a MaracArena, a renda “milionária” de R$ 13 mil para mais de 43 mil torcedores do Flamengo, a “Nueva” Conmebol e a proibição das parrillas no entorno dos estádios argentinos.

Posts Relacionados

SDT Na Bancada #13 Espetacularização das Barras

A temporada 2018 está chegando ao final exigindo muito debate da comunidade torcedora sobre a Argentina. E como é comum no país vizinho com uma dose extra de drama, que recai na marginalização e uso político das barras (algumas nem tão bravas ou poderosas assim).

Javier Bundio e Nico Cabrera, dois especialistas do tema, colaram NA BANCADA para falar sobre as hinchadas, dos cânticos aos confrontos, além da atualização do projeto de lei que visa criminalizar esse grupos.

Posts Relacionados

Xadrez Verbal #167 Prévia do G-20

Recebemos Jefferson Nascimento, especialista em Direitos Humanos e direito internacional, para comentar a visita da CIDH ao Brasil, que ocorreu no início do mês. Também comentamos as últimas notícias relacionadas à nossa política externa e aproveitamos para visitar nossa vizinhança latino-americana.

Principalmente a Argentina, que recebe o G20 neste final de semana, com as principais lideranças internacionais. Como está o clima? O que podemos esperar? E damos também um pequeno resumo nas notícias dos demais países participantes.

Posts Relacionados

SDT Na Bancada #11 Final de uma Era

Estabelecemos contato com Buenos Aires, através do nosso correspondente carioca-portenho Gustavo Mehl e também o jornalista Alejandro Wall – do diário Tiempo Argentino e podcast Era por Abajo – que relataram o antes, durante e depois da partida de ida entre Boca Juniors e River Plate, pela final da Copa Libertadores, e os simbolismos culturais e políticos deste Superclásico.

Também tivemos a participação de Nico Cabrera, que faz o contraponto entre a capital argentina e a cidade de Córdoba, no tocante a volta das hinchadas visitantes no principal clássico da província cordobesa.

Posts Relacionados

O Som das Torcidas #149 Superclásico

Boca Juniors e River Plate somados praticamente monopolizam o futebol argentino, seja na audiência, conquistas ou influência política. Contudo, as demais hinchadas resistem à esta polarização e soltam a voz contra os finalistas da atual edição da Libertadores.

Fizemos um recorrido por diversos bairros da cidades e província de Buenos Aires para ouvir o grito das arquibancadas sem doble camisetas e também demos direito de resposta para millonarios e xeneizes.

Posts Relacionados

Conexão Sudaca #173 Semana Copeira XVII

Conversamos com dois convidados que passaram por sensações distintas nas partidas de volta das oitavas-de-final da Copa Libertadores.

Primeiro, falamos por telefone com Vitor Sion, conselheiro do Santos FC, que dividiu suas impressões sobre os últimos acontecimentos envolvendo o Peixe.

Já no estúdio, recebemos Juan Carlos Pérez, hincha do Colo Colo e um dos organizadores do livro Amistad sin Fronterasque segue ilusionado com a classificação do Cacique.

Prestamos homenagem ao centroavante Claudiomiro, que faleceu na última sexta-feira (24/08), recordando o primeiro gol do Beira-Rio, de sua autoria, e acompanhamos o relato do Clásico de Caseros, entre Estudiantes de Buenos Aires e JJ Urquiza, que voltou a ser disputado, após 52 temporadas.

Para finalizar, o adeus às quadras de Emanuel Ginóbili, o principal jogador da Generación Dorada do basquete argentino!

 

Posts Relacionados

O Som das Torcidas #143 Colón

Sabalero!

Cerca de 5 mil hinchas do clube mais popular de Santa Fé são esperados no Morumbi nesta quinta-feira (02/08) e para conhecer a parcialidade rojinegra, vamos mergulhar no  ̶r̶i̶o̶ ̶S̶a̶l̶a̶d̶o̶  repertório de Los de Siempre que faz o Cementerio de Elefantes tremer na batida da cumbia santafesina!

Posts Relacionados

Conexão Sudaca #168 Semanas Copeiras XIII

De volta após dois meses, nossos muchachos fizeram um breve balanço dos nossos vinhos nos gramados russos, além de voltarem suas atenções à 2ª Fase da Copa Sul-Americana. A partir de um dos duelos das duas últimas semanas, relembramos os 20 e 10 anos das conquistas da Libertadores por Vasco da Gama e LDU, respectivamente.

Também celebramos as Copas nacionais na Argentina, Chile e Paraguai – no qual um gol anotado pelo modesto Cristobal Colón, de Ñemby, pode concorrer ao Premio Puskas.

Para finalizar, dicas culturais do 13º Festival de Cinema Latino-Americano de São Paulo e a rima antipatriarcal de Ana Tijoux, em consonância com o Dia Internacional da Mulher Negra, Latino-Americana e Caribenha!

Posts Relacionados

Lágrimas Sudacas

Desde que a Copa do Mundo passou a contar com cinco seleções sul-americanas, a partir da edição de 1998, esta foi a pior estreia do Brasil e seus hermanos, contrariando a expectativa das respectivas hinchadas, pois tirando o Uruguai – curiosamente o único que venceu e classificou-se – os demais países estão no Top 10 de vendas de ingresso: Brasil (3º), Colômbia (4º), Argentina (7º) e Peru (9º).

O caso dos peruanos é o mais emblemático. Sem disputar a competição há 36 anos – aproximadamente 67% da população do país nunca tinha visto La Blanquirroja em um Mundial – a equipe comandada por Ricardo Gareca já está eliminada, restando um jogo para cumprir tabela contra a Austrália. Apesar da frustração, os incas deixaram uma boa impressão na Rússia e mostraram atuações coesas, jogando de igual para igual com dinamarqueses e franceses.

Ao contrário dos argentinos, que pouco agrediram a Islândia e tomaram um baile da Croácia. Resta torcer por um tropeço dos islandeses diante da Nigéria, para depender apenas de uma vitória sobre os africanos e ainda tirar a diferença no saldo para os nórdicos, que enfrentam os líderes croatas.

Mas é justamente esta dependência que aflige os albicelestes, já que nenhum jogador teve atuação destacada nas duas rodadas, marcadas pelos erros de Caballero, o nervosismo do sistema defensivo, a pouca combatividade do meio-de-campo e a falta de tranquilidade do ataque.

Em relação aos cafeteros, a avaliação é mais complexa devido às circunstâncias que levaram ao primeiro gol japonês. A expulsão precoce de Carlos Sánchez – ironicamente, já que é um jogadores que mais se doam no plantel de José Pekerman – seguida do pênalti convertido por Shinji Kagawa, fez com que a Colômbia corresse atrás do resultado, jogando mais de 80 minutos em desvantagem numérica. O empate transitório veio na vivacidade de Juan Quintero, mas a primeira vitória asiática diante da América do Sul se deu numa pane defensiva aproveitada por Yuya Osako.

A atual generación dorada já dava sinais de declínio ainda nas Eliminatórias, e no equilibrado e imprevisível Grupo H não seria surpresa que os colombianos acompanhassem peruanos e, provavelmente, argentinos em um retorno antes do esperado para o nosso continente.

Posts Relacionados

Xadrez Verbal #144 – 44ª Cúpula do G7

Demos uma banda pela América Latina, discutindo violência eleitoral, desastres naturais, a Venezuela e também as relações latino-americanas com Israel, seja no Brasil ou Argentina.

Também giramos pelo grande Oriente Médio, com destaque especial para a situação na Jordânia e a falta de consenso sobre o Irã.

Falando nisso, observamos os preparativos para o encontro do G7 no Canadá, em que Trump e seus aliados não estão falando a mesma língua, sem trocadilho. Guerra comercial à vista?

Posts Relacionados