Xadrez Verbal

Xadrez Verbal #174 Grupo de Montevidéu

OUÇA O PODCAST

A crise entre Itália e França chega ao seu pior nível desde a Segunda Guerra Mundial. Palavras da porta-voz do Ministério e Relações Exteriores da França! Luigi di Maio recebeu líderes dos coletes amarelos franceses, e ainda tuitou que “o vento da mudança cruzou os Alpes”, o que pegou bem mal na França. Sobrou até para os Tartarugas Ninja. E mais algumas notícias sobre a 5ª Série E… digo Europa.

Voltamos para a Venezuela, onde Guaidó e Maduro continuam sua queda de braço, cada um com seus apoiadores internacionais, agora com um novo grupo, o de Montevidéu, que defende novas eleições via um acordo entre as partes. Além de passarmos pela América Latina, fomos aos EUA, onde Trump proferiu o tradicional discurso de State of the Union perante o Congresso, abrindo de forma oficial o ano na política do país.

Posts Relacionados

13 comentários em “Xadrez Verbal #174 Grupo de Montevidéu”

  • O Filipe falou que o partido republicano no século XIX era contra o protecionismo, mas na verdade era o contrário, os republicanos do século XIX defendiam o protecionismo, era uma das principais bandeiras do partido, doutrina que eles adotaram do Alexander Hamilton, 1º secretário do tesouro deles que em seu “relatório sobre as manufaturas” defendia o protecionismo como forma de proteger as “Industrias infantes” frente a concorrência internacional, sobretudo britânica.

  • Saudações Filipe e Matias! Parabéns por mais um episódio, vcs fazem um trabalho incrível! Sobre o giro na Europa, dois comentários:

    Na questão França-Itália, uma questão secundária na atual treta (mas central nas discussões sobre o orçamento italiano ano passado) é o nível de endividamento da Itália. A dívida pública italiana é de ~1,5 trilhão de euros, e a situação econômica e política frágil do país causa preocupação. Para além dos bancos italianos, a França é o país da UE com maior exposição ao risco de crédito italiano: os bancos do país acumulam 285 bilhões de euros da dívida italiana (tanto pública como privada), e um possível default nesses títulos acarretaria em uma crise que quase que instantaneamente atingiria o setor bancário e de crédito francês, além da economia real. Aqui tem um texto da bloomberg com mais infos:

    https://www.bloomberg.com/graphics/2019-italian-banks/?utm_medium=social&cmpid=socialflow-twitter-business&utm_content=business&utm_source=twitter&utm_campaign=socialflow-organic

    E sobre o comentário do Donald Tusk, apenas um adendo: ele reproduziu a frase no Twitter, aonde recebeu uma resposta (merecida) do ex-ministro das finanças grego Yanis Varoufakis: “Probably very similar to the place reserved for those who designed a monetary union without a proper banking union and, once the banking crisis hit, transferred cynically the bankers’ gigantic losses onto the shoulders of the weakest taxpayers”.

    Abraços, e obrigado de novo pelo ótimo programa! Caso seja mencionado no próximo episódio e meu sobrenome seja pronunciado corretamente, vcs receberão uma amostra de doce de leite (uruguaios e mineiros) no estúdio!

  • Sylvia Tamie disse:

    “Segregação hoje, segregação amanhã, segregação para sempre” – a história dessa frase acabou de explodir a minha cabeça! Há um episódio da série “Todo mundo odeia o Chris” em que ele concorre à presidência da classe, e o concorrente dele é o bully, Caruso, cuja única resposta no debate é sempre a mesma: “Que sabor de gelatina vamos ter na lanchonete?” “Uva hoje, uva amanhã, uva para sempre”. Nunca imaginei que haveria um sentido mais profundo!

  • Lucas Gabriel Rodrigues Ozorio disse:

    Fala Mathias e Felipe! Estou aqui em um churrasco sábado a noite conversando com meu amigo Matheus sobre Xadrez verbal. Pegamos o trem todos os dias e vocês nos mantém informado de tudo!
    Mandem um abraço para nós e parabéns pelo seu programa 🙂

  • Anderson Henrique Zotto Tejero da Silva disse:

    Eu entendo que o termo estadunidense é correto conforme as regras gramaticais brasileiras. Mas toda vez que o Matías usa este termo, eu fico pensando que isto abre uma brecha para chamarem brasileiros de republicafederativense, já que Estados Unidos compete à composição unitária do país, vide os Estados Unidos Mexicanos, nome do México e do antigo Estados Unidos do Brasil, que era o nome do Brasil antes de ser a República Federativa do Brasil.

  • Luís Felipe Gonçalves disse:

    Filipe, assim é uma coisa meio boba, mas a capital dos Estados Confederados era Richmond, capital do estado da Virginia atualmente, embora nos momentos finais da guerra os confederados tivessem mudado a capital para Montgomery, no estado do Alabama.

  • Filipe Assunção disse:

    O canal Vox fez dois vídeos sobre a “evolução” dos partidos republicano e democrata em questões ideológicas e segregacionistas. Como foi dito no episódio, é bastante complexo e não dá para fazer uma análise simplista sobre a tema. Segue os links do vídeo (em inglês)
    Grande abraço!
    How the Republican Party went from Lincoln to Trump
    https://www.youtube.com/watch?v=s8VOM8ET1WU
    From white supremacy to Barack Obama: The history of the Democratic Party
    https://www.youtube.com/watch?v=Z6R0NvVr164

  • IAGO TEIXEIRA CARNEIRO disse:

    Filipe e Matias, sempre fui confuso com relação a orientação político-ideológica dos democratas e republicanos e vocês deram deram um belo panorama em poucos minutos. Obrigado

  • olá, meu nome é igor e sou ouvinte frequente do xadrez verbal há aproximadamente 2 anos,gostaria de parabenizar vcs 2 pelo ótimo trabalho que vcs fazem e agradecer pela ajuda prestada por vcs de forma indireta, na semana passada recebi o resultado do sisu e eu fui aprovado em direito na UFV( federal de viçosa), em parte devido aos 41 acertos de 45 na prova de humanas, algumas questões devido a ajuda de vcs, continuarei escutando na faculdade e disseminando a palavra do xadrez, por último um abraço para meu amigo vitor café que tbm estuda direito e acabou de converter para o mundo dos podcast

  • José Carlos Junior disse:

    Como sempre um excelente programa! A respeito do discurso do Trump eu recebi do site Aos Fatos, plataforma de “fact-checking”, uma checagem das falas dele. Tem muita informação falsa, inclusive sobre El Paso ser uma das cidades mais violentas dos EUA. Dá uma conferida: https://aosfatos.org/noticias/drogas-emprego-e-petroleo-os-erros-de-donald-trump-no-discurso-do-estado-da-uniao/

    Ah, por favor, mandem beijos para a minha crush de Sorocaba-SP Kaysmma Ramos (a pronúncia é Kaísma, como se tivesse um acento agudo no “Y”). Ela vai começar a ouvir o podcast de tanto que eu falo “porém, todavia, entretanto”.

    Abraço! JC Junior de Ribeirão Preto-SP

  • Olá Filipe e Matias, tudo bem? Fiquei viciado no xadrez verbal há um ano, aproximadamente, e gostaria de agradecer muito, pois além de o podcast ser, atualmente, minha principal fonte de informação (ouço o mesmo por partes durante a semana inteira), o mesmo foi muito importante na minha preparação e, consequentemente, aprovação em medicina. No mais, hoje sou um fiel divulgador do Xadrez Verbal, sobretudo para meus colegas de turma e também para amigos que estão se preparando para os vestibulares. Gostaria que vocês mandassem um abraço para meus amigos do Instituto de Ciências da Saúde da Funorte de Montes Claros-MG, e também para minha mãe Ana, que é professora de geografia aposentada (e a primeira pessoa que eu consegui influenciar para ouvir o Xadrez Verbal). No mais, espero uma visita de vocês ao norte de Minas.

  • Gabriel Rieger Junqueira disse:

    Olá Filipe e Matias, parabéns pelo programa.
    Posso dizer que já sinto falta depois deste hiato.
    Tenho duas perguntas sinceras:
    1) Como os Europeus se comunicavam com os indígenas quando chegaram ao Brasil ( ou qualquer lugar das Américas)?
    2) Quais eram as técnicas de extraçao de minérios na época, como o ouro era extraído,haviam montanhas de ouro literalmenre? acredito que a mineracao de hoje em nada tem a ver com aquela dos anos 1600/1700.
    Poderiam por favor me indicar algo para ler a respeito destas questoes?

    Muito obrigado
    Sucesso!

Deixar um comentário para José Carlos Junior Cancelar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar algumas tags HTML:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>