Xadrez Verbal

Xadrez Verbal #197 Renúncia ao Ritmo de Reggaeton

OUÇA O PODCAST

Chegamos com um programa bien boricua, mami/papi! Abordamos a renúncia do governador de Porto Rico por conta de suas conversas vazadas, além de outras notícias dos EUA, como o depoimento de Robert Mueller.

Também fomos até a Ásia, onde a Coreia do Norte disparou (novamente) mísseis balísticos, os protestos em Hong Kong continuam e o novo premiê de Papua-Nova Guiné assumiu o cargo.

Passamos pela Europa, com a confirmação do favortismo de Boris Johnson para o posto premiê britânico – antes que Elvis fosse encontrado em Marte – e a grande vitória do presidente ucraniano nas eleições parlamentares.

Posts Relacionados

10 comentários em “Xadrez Verbal #197 Renúncia ao Ritmo de Reggaeton”

  • Anderson Aguzzoli disse:

    Sugestão pras novas eleições na Espanha são ao estilo Corso, conforme Asterix na Córsega. Caso não lembrem… as urnas já estão cheias e quem arremessar mais longe é eleito, vulgo arremesso de urna. Viva a democracia!

    PS: to completando minha coleção de asterix por incentivo de vocês pelo Fronteiras Invisíveis…

    Abraços!

  • Silvana Oliveira e Silva disse:

    Queridos, fiquei pensando no caso do Guaxinim Belicoso, ou o Boris Johnson pros mais formais.
    Será que a crítica à namorada morar lá na tal casa do número 10, seria mais pela questão de “abrigar” com dinheiro público a namorada dele, quando a casa é para os familiares formalmente constituídos? Tipo, os conservadores em geral falam em austeridade, em corte de privilégios, os britânicos já estão “Por aqui” com os abusos que os lordes aprontam na Câmara alta, daí o cara leva a namorada às custas do povão…. Fiquei pensando se ele ser um fornicáááário (gif da velhinha escandalizada, visualizem mentalmente), é a menor das preocupações do britânico.

    Os considero meus amigos, não perco um episódio, meu final de semana não é igual sem vocês. Mesmo a 27 dias de meu casamento, mantenho os episódios em dia, e já estamos planejando, eu e meu querido noivo Rogerio Moreira Júnior, grande jornalista e também podcasts, que está ouvindo agora com certeza, nós dois em nossos sábados de manhã, deitados na cama até tarde ouvindo Xadrez Verbal
    Ai ai ai papi (gif de corações voando, visualizem novamente por favor)….

    Hahahahahhahaha tão assustados né, mas realmente nos conhecemos já fãs de XV e isso foi um ponto a favor de nossa união de escovas e renda per capita.

    Grande beijo a vocês, abraço apertado e Deus os abençoe!

  • José Carlos Junior disse:

    Não aguento mais notícias de novas eleições na Espanha! kkkkkkk daqui a pouco serão “velhas novas eleições”.
    Manda beijo pras minas e abraço pros manos de Ribeirão Preto e região.

  • Bruno Mendes disse:

    Saudações, caros Filipe e Matias! Sou ouvinte de vocês já há bastante tempo, desde o final do ano de 2015. Sou muito fã do trabalho de vocês, a cobertura e as análises do programa são realmente fantásticas, parabéns pelo grande trabalho! Me interesso bastante por história e geopolítica, então o programa de vocês cai como uma luva. Sou ouvinte também de outros programas da Central 3, como Meu Time de Botão, Baião de Dois, entre outros, um salve para todos da casa Central 3 também!
    Estou enviando esse comentário um pouco atrasado, já que alguns programas atrás vocês colocaram uma efeméride referente à chamada colônia Dignidade no Chile. Essa efeméride me lembrou de um filme que gostaria de acrescentar como dica cultural para os ouvintes, que creio que vocês devem conhecer, chamado Colonia (no Brasil acho que saiu como Amor e Revolução), que penso que é uma boa para os ouvintes que não conhecem o assunto e tenham interesse. O filme se passa no contexto do golpe militar de 73 e dos anos seguintes do regime, baseado em fatos reais, onde um alemão que residia no Chile na época do golpe (interpretado pelo ator Daniel Brühl), e era apoiador do governo do Allende, acaba preso pelo regime militar, é torturado, e acaba parando nessa colônia, e sua namorada Lena (interpretado pela atriz Emma Watson), tenta resgatá-lo de lá. É uma trama muito interessante, que desnuda uma série de barbaridades feitas pelos ditos cidadãos de bem da época.
    Por fim, gostaria de pedir um salve Leopoldina-MG, minha cidade natal, e toda a Zona da Mata mineira. Li o comentário de um ouvinte dizendo que se um dia esbarrar com vocês pela vida a cerveja seria por conta dele, e gostaria de acrescentar que faço das palavras dele as minhas, também vai ser por minha conta! Obrigado desde já pela atenção, forte abraço!

  • Fernando Cesar disse:

    Sobre Ruth Hauer, faltou A Morte Pede Carona (The Hitcher (1986)) e um menção honrosa para Fúria Cega (1989 – Blind Fury). Abraços, tudo de melhor sempre.

  • Daniel Schneider disse:

    Olá, conheci o programa há poucos meses, quando o algorítimo de uma plataforma de vídeo indicou uma de suas edições em minha timeline. Gostaria de agradecer a vocês por terem reavivado a minha paixão por política internacional, que andava meio esquecida desde que deixei o ensino médio. Queria fazer um adendo ao programa 196, não comentei antes porque achei que alguém o faria. No último programa vocês falaram sobre uma família australiana que não pagava impostos alegando que aquilo não era bíblico. Porém, o próprio Cristo pagou imposto, a história está no livro de Mateus, capítulo 17, versículos 24 a 27, onde Jesus diz a Pedro: “vai ao mar, lança o anzol, tira o primeiro peixe que subir e, abrindo-lhe a boca, encontrarás um estáter; toma-o e dá-o por mim e por ti”. Mais adiante, no capítulo 22 do mesmo livro, os fariseus tentaram surpreender Jesus em algum ponto e questionaram se era justo pagar tributo a César.Jesus tomou uma moeda e perguntou aos fariseus de quem era a efígie impressa, ao que responderam: de César, ao ouvir isso, Jesus declarou: “Dai, pois, a César o que é de César, e a Deus, o que é de Deus” (Mt 22 vs 21).Parabéns pelo trabalho e sucesso!

  • Pessoal, tudo bem?

    Sou um ouvinte relativamente novo do Xadrez Verbal e ele hoje é o meu podcast preferido de longe. Eu adoro o estilo do podcast, o bom humor de vocês e o fato de sempre fazerem um link com esportes em geral. Inclusive, trabalho com conteúdo numa empresa de tecnologia, a Nuvemshop (uma plataforma de e-commerce), e o Xadrez Verbal nos inspirou a criar o TechCommerce, que é um podcast que traz as principais notícias de tecnologia e e-commerce que rolaram na última semana. Muito obrigado por serem essa fonte inspiradora!

    Se quiserem por curiosidade conhecer o TechCommerce e deixar um feedback, vou deixar o link do último episódio aqui: https://open.spotify.com/episode/64Idxksm6yNXr3j2xe81Ba?si=5uG8amhKS1O068OsicoSDg

  • Angelo Ribeiro Pereira Arsani disse:

    No programa do Last week tonight with John Oliver sobre o Boris Johnson, ele diz que o premiê britânico bagunça de forma intencional o cabelo branco dele para que as pessoas falam justamente sobre o cabelo dele e tirem o foco sobre o que ele disse. Vale a pena assistir no YouTube

  • Isadora Rocha disse:

    Olá, Matias e Filipe!

    Não sou jurista, mas em relação ao que Filipe falou no último episódio sobre se a “doutrina dos frutos da árvore envenenada” ainda seria utilizada no Brasil, pode-se dizer que sim, já que essa metáfora legal foi, recentemente, utilizada pelo Toffoli para suspender a investigação por corrupção contra Flávio Bolsonaro [eye roll]. O argumento é que, “para evitar uma possível nulidade futura dos casos, ficarão suspensas provisoriamente todas as investigações em andamento no país nas quais o Ministério Público tiver obtido informações, sem autorização judicial, do Coaf, da Fazenda ou do Banco Central”. *

    No mais, queria pedir para vocês mandarem um abraço para meu pai, Túlio Velho, que fez aniversário na última quarta-feira, dia 31, e que AINDA não escuta vocês, mas me prometeu começar a ouvir o programa em breve (ele é cientista político e já participou e produziu podcasts super legais!). Também gostaria que vocês mandassem um abraço para meu grande amigo e contemporâneo do curso de Ciências Sociais da UFPE, Aloizio Barbosa (responsável por me viciar no Xadrez Verbal). E para meu companheiro Jan Lechte (a pronúncia é “Ian”, do alemão) e minha mãe Giovanna Rocha, que foram ouvintes, por tabela, de muuitos episódios do Xadrez.

    Parabéns pelo trabalho, vocês são demais! Abraço grande.

    * https://brasil.elpais.com/brasil/2019/07/16/actualidad/1563297290_207998.html

  • Isadora Rocha disse:

    Olá, Matias e Filipe!

    Comentando novamente, pois meu comentário não tá aparecendo. Talvez por, originalmente, ele ter um link?

    Não sou jurista, mas em relação ao que Filipe falou no último episódio sobre se a “doutrina dos frutos da árvore envenenada” ainda seria utilizada no Brasil, pode-se dizer que sim, já que essa metáfora legal foi, recentemente, utilizada pelo Toffoli para suspender a investigação por corrupção contra Flávio Bolsonaro [eye roll]. O argumento é que, “para evitar uma possível nulidade futura dos casos, ficarão suspensas provisoriamente todas as investigações em andamento no país nas quais o Ministério Público tiver obtido informações, sem autorização judicial, do Coaf, da Fazenda ou do Banco Central”. *

    No mais, queria pedir para vocês mandarem um abraço para meu pai, Túlio Velho, que fez aniversário na última quarta-feira, dia 31, e que AINDA não escuta vocês, mas me prometeu começar a ouvir o programa em breve (ele é cientista político e já participou e produziu podcasts super legais!). Também gostaria que vocês mandassem um abraço para meu grande amigo e contemporâneo do curso de Ciências Sociais da UFPE, Aloizio Barbosa (responsável por me viciar no Xadrez Verbal). E para meu companheiro Jan Lechte (a pronúncia é “Ian”, do alemão) e minha mãe Giovanna Rocha, que foram ouvintes, por tabela, de muuitos episódios do Xadrez.

    Parabéns pelo trabalho, vocês são demais! Abraço grande.

    * Matéria do El País: “Supremo suspende investigação e alivia pressão sobre Flávio Bolsonaro”

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar algumas tags HTML:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>