Xadrez Verbal

Xadrez Verbal #212 Acobou (L)A Paz

OUÇA O PODCAST

Fomos até a Espanha, que realizou mais uma eleição e estamos sem paciência pra tanta indecisão, mas parece que agora vai.

Voltamos à Brasília, que recebeu a cúpula do BRICS, em meio aos eventos na embaixada da Venezuela.

E claro que o tema principal do programa foi a crise na Bolívia, com a renúncia de Evo Morales. Foi golpe? Qual a ordem dos eventos? O que pode acontecer daqui pra frente?

Posts Relacionados

4 comentários em “Xadrez Verbal #212 Acobou (L)A Paz”

  • Bom crepúsculo Filipe e caro Matias! Quero reclamar que vocês não me deixam ouvir outros podcasts, 3 horas semanais de Xadrez Verbal já era muito, agora viciei no Fronteiras e tem também o Repertório… Difícil, mas tolero.
    Podem me mandar um beijo no quinto metatarso do pé esquerdo, por favor? O meu está fraturado. Se possível também um beijo não monogâmico pro Jonas, com quem as cantadas do Xadrez Verbal sempre funcionam.

  • José Carlos Junior disse:

    Como sempre, a melhor revista semanal de política internacional.

    Vocês, Matias e Filipe, falando sobre a violência nos protestos na Bolívia me fez recordar uma vez que eu conversei sobre a herança Bolivariana na América, com o namorado de uma amiga minha que é venezuelano (inclusive mencionei isso nos comentários do Fronteiras sobre a Venezuela).
    Ele falou que os países com as ideias do Bolívar são mais violentos, como por exemplo: Bolívia e Venezuela. Isso, ele dizia, se deve ao fato de Bolívar ter sido um iluminista e que não abaixava a cabeça tão facilmente, e que as “revoluções em prol das independências”, digamos assim, foram muito sanguinárias.

    Resumindo: talvez os protestos serem violentos poderiam ter alguma relação com essa herança (ou não) de acordo com o que o colega venezuelano me disse, mas é um assunto a ser estudado profundamente; pode ser que faça parte das minhas pesquisas.

    Abraços!

  • Salve Matias, salve Filipe!
    Primeira vez comentando mas já acompanho há quase 2 anos o programa.
    Parabenizar os trabalhos e as analises sempre muito honestas e com bastante embasamento. Até quando a gente discorda é sempre com muita qualidade. Como jornalista que cobre apenas política federal aqui em Brasília é sempre uma ótima aula ver os desdobramentos e as coisas que acontecem além das nossas fronteiras invisíveis.
    Também quero participar do momento correio elegante desse programa garboso… essa semana dei match com uma moça, Isabella, estudante de relações internacionais e dona/trabalha numa loja de roupas. O papo ficou em questões gastronômicas e podcast, já que ela também era ouvinte do podcast por indicação de um colega de classe. Por azar do destino, perdi meu celular no exato dia do match e o dialogo e o possível encontro parou por aí.
    Se possível, me ajudem aí nessa empreitada para encontrar a moça novamente.
    Isabella, estudante de rel. internacionais e proprietária da loja de roupas. O lema dela era ir para academia para aproveitar as comidas e comer para ter incentivo para ir na academia.
    Um beijo do osso zigomático de ambos e parabéns pelo trabalho em ambos os podcasts.
    Um adendo para a participação do Matias no Bola da Vez da ESPN. Manja muito de futebol, sobretudo o latino americano e o argentino, em especial.
    Abraços!

  • Beckson Ganja disse:

    Ótimo programa, belo panorama.
    Mas um pouco mais de contexto sobre a OEA cairia bem pra falar desse relatório, por exemplo como é o histórico geral da OEA na america do sul, ou então mencionar que o relatório foi bastante questionado (por organizações independentes, até de washington). Tambem faltou falar da questao do lítio, seja que peso atribuirem a isso em relacao ao golpe (eu proprio não atribuo muito, mas é algo que vem sendo muito dito).
    Outro sinal de golpe é que quem colocou a faixa presidencial na Anez no plenário vazio, foi um general formado na infame School of the Americas (e a ultima vez que isso aconteceu foi em 1980, quando Luis Meza assumiu após o assassinato do líder socialista Marcelo Quiroga e dezenas de mineradores indígenas).
    E sim o referendo em 2016 foi um marco do desgaste político ou seja lá como colocaram, mas em 2015 o MAS já havia perdido a prefeitura de El Alto e o governo da província, dois duros golpes que já anunciavam a derrota no referendo. Em El Alto, perdeu pra La Sole, indígena nascida lá posando de centro-esquerda, com discurso feminista e de empreendedorismo e anti-corrupção, que levou à prisão o antigo prefeito do MAS, ex-dirigente sindical dos vendedores de rua (enquanto la sole é advogada e filha de policial).
    O que aconteceu foi que El Alto, ao invés de virar o “ayllu urbano eco-socialista” que os acadêmicos de esquerda queriam crer, ao invés disso deu forma à nova burguesia andina, erguendo aquelas mansões cafonas pra todo lado, com um mega-camelô dominical vendendo tudo que existe entre a china e o andes, e cascatas de lixo descendo da montanha. Eu tive lá e vi tb bonecos humanos pendurados em postes como ameaça contra ladrões (as adoráveis “juntas vicinais” tão elogiadas na esquerda).
    O partido de La Sole (que elegeram prefeita em 2015) era o Unidad Nacional, na época presidido por Samuel Medina – um dos homens mais ricos da Bolívia, dono da franquia Burger King no país que os esquerdistas idolatram como “o país sem McDonalds”. E onde aparece o Samuel agora? Vice de Jeanine Anez pras eleições de 2020, confirmando o que o linera (foi ele que teve sua biblioteca queimada? essa eu não sabia, valeu!) disse, que por trás de todo liberal há um fascista. Só que agora os liberais é que pularam pra sombra dos fascistas, mostrando como os empresários cansam rapidamente de fingir que são de esquerda depois de um golpe.
    60 morreram em El Alto pra botar Evo no poder e grande parte desse poder vinha do milhão de indígenas 150m acima de La Paz. Mais 33 morreram resistindo contra o golpe, 14 anos depois, mas agora as vítimas já não eram tanto de El Alto (a maioria acho que foi em El Chapare, e nao estou inventando por ta chapado, embora estou, mas realmente é esse o nome), de onde alias expulsaram a polícia após o golpe e não sei como anda lá agora).. e aquelas imagens de midia social da galera em el alto correndo berrando “ahora si guerra civil”, vale lembrar que esse mesmo grito foi entoado na guerra del gás, repetido agora como farsa, porque El Alto virou de classe média. E assim a esquerda rosinha se enterra como sempre, alimentando a classe media que depois a trai. Entre as principais cagadas de Morales estiveram o museu enorme celebrando o MAS na sua cidadezinha natal (ao invés de por exemplo investir nas ruínas de Tiwanacu) e o novo prédio gigante de governo que ergueu no lado da catedral (fica mais chato defender das acusações dos evangélicos de Evo se portar como um faraó com essas 2 obras bizarras). Por outro lado, as conquistas sociais gerais e o tempo de estabilidade pra bolivia, eh um milagre, o mais notavel dos governos da onda rosa, e deve ser muito celebrado por isso.
    Mas de todas as conquistas, talvez a que a gente mais deve refletir a respeito é a do sucesso econômico, do pib per capita triplicar (justamente a conquista que mais gostam de destacar na midia). E esse crescimento econômico, esse “aumento de 20% na classe média” (estatistica que nao sei confirmar, vi em midia social) foi terrível pro meio-ambiente (lago poopo, o 2o maior secou, e o titicaca tá secando rapidamente, vão ficar sem água, visitei vilas abandondas por falta de agua la), e também por erodir o apoio a morales, principalmente em el alto, gerado as condicoes pra outro golpe no pais campeão de golpes. A esquerda pra se manter lá não pode cair de 60% de popularidade, nem por 1s em contagem provisória (por isso tentaram esconder? heheh)
    Claro, fácil criticar o Evo pelo referendo agora. O Lula fez isso, dizendo que devia respeitar a alternância de poder, mas a verdade é que o PT tomou um golpe em menos tempo – o MAS durou mais e fez mais, num país mais politicamente instável.
    E acho que MAS tem chance ainda, nao to tão pessismista, vamos ver. Ninguém previu esse golpe, quem sabe eles conseguem se re-organizar. Já pensou eles voltarem vingativos, tipo mao tse tung, já metendo uma revolução cultural indígena ali, mandando os evangélico ir catar coca e cavar nas montanhas.
    Os brancos deviam ficar esperto e levar a coisa mais na paz ao invés de sair queimando wiphala. Se bem que conseguiram usar evo pra re-equipar o exército, comprar uns helicopteros (boa parte dos mortos foram alvejados por snipers num deles, como o proprio evo se lamenta em entrevista com correa), a coisa pode ficar feia, torcer pra resolverem na paz, a ideia nao era chamar o vaticano pra mediar cade eles? pq o papa nao excomungou todos os fascistas publicamente ainda?
    Mal pelo textão mal revisado,
    Valeu pelo programa!

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar algumas tags HTML:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>