Xadrez Verbal

Xadrez Verbal #214 Balotaje no Uruguai

OUÇA O PODCAST

Após uma pausa para recontagem, devido ao número apertado de votos entre os dois candidatos, o paisito elegeu Lacalle Pou como seu novo presidente.

Voltamos a receber nosso querido Gustavo Rebello, diretamente da Flórida, falando sobre o processo do impeachment de Trump e questões agrônomas.

Também fomos até Hong Kong, que realizou eleições distritais, com vitória da oposição. O que essa vitória pode significar no contexto da queda de bração com Pequim?

Posts Relacionados

12 comentários em “Xadrez Verbal #214 Balotaje no Uruguai”

  • Salve Filipe e Matias!

    Um grande abraço aos dois direto de Curitiba. Acompanho o programa de vocês religiosamente desde 2016 e fiquei muito feliz que ele se tornou disponível no Spotify esse ano. Até deletei o app Castbox que eu usava só para escutar o Xadrez Verbal hahaha.

    Na semana que vem eu estarei na COP 25 em Madri representando o Brasil e apresentando o meu vídeo “O que é agroecologia?” que foi campeão de uma das categorias do Global Youth Video Competition das Nações Unidas esse ano! Poderiam mandar um abraço para mim e para a minha parceira e co-produtora do filme, Kiane Assis? Nós estaremos lá dos dias 3 a 11 de dezembro trabalhando como repórteres pela UNFCCC e participando da premiação da competição no dia 5/12. Também quero aproveitar para agradecer o Matias que compartilhou o nosso vídeo no Twitter quando ele ainda estava em votação.

    E Filipe, não ligue para a zoação do Flamengo com o Palmeiras não. 2020 é do Porco!

    Muito obrigado e parabéns pelo excelente trabalho!

  • Alcides Branco disse:

    Queridos, bom dia!
    Com relação ao episódio de 29/11, venho aqui com um conselho, se me permitem. Cuidado ao chamar de pássaro aves como peru, abutre ou qualquer outra não passeriforme. Ao evocar essa palavra erroneamente, pode-se despertar a mais temível besta escondida no coração de algumas pessoas que fazem da biologia seu ofício do dia a dia. Ou seja, a vida de quem profere tal heresia pode ser extinta. Certa vez chamei uma gaivota de pássaro e até hoje pardais adestrados vêm defecar na minha janela, como uma resposta vingativa ao meu descuido. Na dúvida digam ave.
    Brincadeiras a parte, pessoas como vocês, que informam de forma crítica e abundante, são importantíssimas no mundo de hoje. E por isso eu (e acredito que não só eu) agradeço pela dedicação e empenho em divulgar tanto conteúdo de relevância. Sempre que posso, divulgo o trabalho de vocês.
    Bem, sem mais delongas,
    abraços fraternos da fria capital paranaense.

    • Fernando de Andrade disse:

      Alcides,

      Você quer dizer que o Homem-Pássaro (coruja) não é Pássaro?ocê quer dizer que o Homem-Pássaro (coruja) não é Pássaro?

  • Gustavo Gessner disse:

    “O Playstation já tem 25 anos, já teria se formado e feito um mestrado”

    Poxa, eu to com 25 e to começando minha graduação em RI agora, até um Playstation já teria feito mais que eu :/

  • David Onezio Moraes disse:

    Boas pessoal, sobre a Antártida eu tenho que recomendar o anime Sora Yori Mo Tooi Basho, que conta uma história de garotas do ensino médio que vão para a Antártida, muito bom, um slice of life, bem legal, além de ser muito bonito também.
    Ps. Japonês falando pinguim é uma coisa muito engraçada, hahahaha.

  • Bruno Cardoso Notari disse:

    Olá, Filipe e Matias
    Acho que é a primeira vez que comento aqui desde quando comecei a escutar vocês em abril desse ano e sobre a efeméride dos 25 anos do PlayStation queria dizer que escuto vocês todo sábado de madrugada jogando FIFA. Já virou rotina. Um abraço!

  • Caros Filipe e Matias:
    Tenho alguns comentários e um pedido. Então, talvez o post fique um pouco longo.
    Vamos lá aos comentários:
    1- O caso do Napoleão ser entendido como baixinho não era por conta dele ser militar e por isso talvez menor que os demais soldados. O problema é questão de sistema de medidas. O sistema métrico ainda não existia e as medidas francesas e inglesas eram diferentes apesar de ter o mesmo nome. Napoleão tinha 5 pés e 2 polegadas francesas (1,69m) na data do seu falecimento que em medidas inglesas 5 pés e 6,5 polegadas. Por outro lado 5 pés e 2 polegadas inglesas têm 1,58m, 11 centímetros a menos. A fonte é do site “how stuff works” (não sei se links aparecem aqui).
    2- Por um instante achei que vocês iam falar que o rótulo da cerveja que se refere ao continente mais ao sul do mundo era o Homem Aranha mal desenhado.
    3- Ouvindo o comentário sobre a entrevista do padre Ibrahim Soliman Mansour e juntando com a maratona de fronteiras que eu comecei a fazer faz uns 3 meses e estou concluindo, gostaria de dizer que tenho um contato que pode ser uma presença interessante tanto para o fronteiras quanto para repertório por ser uma memória viva de parte da história da indústria e arte de São Paulo e do futebol carioca (na verdade das regatas, futebol é consequência posterior). Caso se interessem, entrem em contato.

    Sobre o pedido:
    – Desde que o Filipe foi no clube de leitura do Metrô ele não enviou a foto que tirou comigo. Ainda estou no aguardo.

    Obrigado e forte abraço aos dois!

    PS: Esse comentário está também no site do Xadrez Verbal

  • Desconfio que o tamanho 40 das botas de Napoleão deve ser de numeração européia, correspondente do 38 no Brasil. Seria bom confirmar…

  • Brontops Baruq disse:

    Bom dia.

    O roubo das jóias em Dresden me remeteu ao recente filme mexicano Museo, com Gael Garcia Bernal sobre um roubo ocorrido no Museu do México nos anos 80. Não é o típico filme de assalto, mas suscita boas questões e tem lá seus pontos altos, como a brincadeirinha com as peças raras com as crianças… quem nunca teve essa vontade?

    Baseado na notícia do programa anterior sobre os bots de perfil anti-Morales, queria também sugerir um livro da editoraTodavia, A Nova Idade das Trevas, de James Bridle, escritor e jornalista que critica os efeitos da tecnologia, da vigilância, do acúmulo de informação…

  • Victor Pessamiglio disse:

    Olá Filipe e Matias!

    Um amigo me apresentou o programa em maio e desde então estou viciado, não só no Xadrez, mas também no Repertório e no Fronteiras. Viajo muito por conta do trabalho e os podcasts são meus companheiros de estrada. Mandem um abraço para Juiz de Fora (MG).

    Victor Pessamiglio

  • Paulo Guerreiro disse:

    Caros Filipe e Matias

    Já sabia da existência de vocês, por isso decidi ouvir o podcast para ver outras perspectivas da crise chilena. A efervescência sulamericana ajudou a me fidelizar. Curto muito o Xadrez Verbal, vocês expõem e analisam os fatos de forma muito clara, em alguns momentos deixando claro qual das duas coisas estão fazendo no momento. Complementando a informação do maluco que deitou os terroristas na mão, ele gritou ‘Fuck you, I’m Millwall’

    https://www.independent.co.uk/News/uk/home-news/london-bridge-terror-attack-fk-fuck-you-im-millwall-hero-roy-larner-football-fan-lion-of-london-a7775246.html

    Paulo Guerreiro

    ps: moro em Fortaleza, não sou o famoso jogador peruano

  • Elton Bonfim disse:

    Bom dia, Filipe e Matias

    Gostaria de deixar um abraço e dizer que comecei a ouvir o Xadrez Verbal por conta de um NerdCast onde o Jovem Nerd citou o seu podcast e desde entao la se vão quase dois anos.

    Ja não sei viver sem ouvir a voz de voces.

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar algumas tags HTML:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>