Xadrez Verbal

Xadrez Verbal #226 Pandemia Global

OUÇA O PODCAST

Primeiro, trouxemos as últimas atualizações do caso Ronaldinho, que está preso no Paraguai, com seu passe disputado; dessa vez contamos com o auxílio do advogado Carter Batista.

Depois, voltamos ao Oriente Médio para falar da queda do preço do petróleo e do acordo de paz no Afeganistão, que continua um barco furado.

Por último, abordaremos obviamente a atualização do status do Covid-19 pela Organização Mundial da Saúde!

Posts Relacionados

12 comentários em “Xadrez Verbal #226 Pandemia Global”

  • Diego Andrade disse:

    Sobre o nome do time da prisão no Paraguai, Piraguaçu, como Matias disse, “guaçu” é grande e “pira” é peixe em guarani. Então, Piraguaçu, peixe grande.

  • Luiz Carlos Córdova disse:

    Apesar do número de casos relativamente baixo, aqui na Rep. Tcheca (o negócio de Tchequia é só piada aqui, ninguém leva a sério e usa) a população foi toda colocada em quarentena domiciliar.
    Quem pode está em home office, quem não pode fica sem trabalhar.
    Restaurantes estão fechados, apenas supermercados e farmácias estão abertos.

  • Cássio Knapp disse:

    Caro Matias, entro em contato com você para completar e corrigir uma informação que passei no Twitter.
    Meu nome é Cássio Knapp sou Professor Universitário e atuo em um curso de formação de professores indígenas Guarani e Kaiowá em na Universidade Federal do da Grande Dourados em Mato Grosso do Sul.
    No programa passado ficou no ar uma duvida futebolística com relação ao significado do nome de um dos times do complexo penitenciário Agrupación Especializada o “Pira Guasu”, que significa “Peixe Grande” na língua Guarani. Se na equipe do R10 estava também o Fernando González Karjallo, ex-presidente do Sportivo Luqueño talvez seja tenham jogado mesmo pelo Pira Guasu. Mas as equipes campeãs foram Negro Cumbiero y Villa Real segundo Iván Leguizamón @ivanciclon periodista do ABC Color
    Acompanho e divulgo o trabalho de vocês a pelo menos 3 anos desejo vida longa aos programas da casa
    um forte abraço Cássio

  • Prezados amigos do Xadrez Verbal

    Na edição 226, por volta das 2h15min, vocês citam Malba Tahan, autor de “O Homem que Calculava”, e o Filipe fala que esse era o pseudônimo de um brasileiro.

    Trata-se do professor de matemática Julio Cesar de Mello e Souza, que trabalhou no Colégio Pedro II, colégio público de maior longevidade no Brasil, que em 2019 completará 182 anos de funcionamento ininterrrupto.

    O professor Julio Cesar só conseguiu publicar seus textos quando levou seus textos aos editores dos jornais de seu tempo dizendo que era tradutor de um escritor árabe chamado Malba Tahan, que tratava de matemática de forma lúdica.

    Valeu lembrar de Malba Tahan para lembrar do colégio que teve, entre alunos e professores, algumas das maiores cabeças pensantes da História do Brasil e oferece educação pública, laica e gratuita desde 1837.

  • Daniel Simões disse:

    Olá, Filipe e Matias! Como estão?

    Meu nome é Daniel Simões. Sou ex-estudante de Direito (tranquei o curso no 4° ano) em São Paulo e agora moro em Botucatu, onde estudo na Unesp para a minha verdadeira vocação: Veterinária.
    Eu contei pra vocês o resumo acadêmico da minha vida, pois vocês foram parte dos meus estudos pré-vestibular, graças a minha professora de Geografia do cursinho, Thais Formagio, que recomendou o Xadrez Verbal como forma de ficar por dentro do que acontece na Geopolítica mundo afora.
    Por esse motivo, eu gostaria de agradecê-los pelo excelente trabalho que vocês fazem e por terem me auxiliado, mesmo que um pouco, na realização desse meu sonho.

    Bom, sem mais delongas, por favor mandem um abraço para a minha professora Thais e um beijo para a minha namorada Danielle, que está de quarentena comigo, já que nossas universidades (ela estuda Biblioteconomia na UEL em Londrina) suspenderam as aulas por pelo menos um mês. Tenho muito orgulho dessa mulher guerreira que está ao meu lado

    Um abraço pra vocês, se hidratem e mantenham-se a salvo do Covid-19. Até mais!

  • Daniel Simões disse:

    Olá, meus caros Filipe e Matias! Como vão?

    Eu acabei de escrever um comentário relativamente extenso pra vocês, mas não acredito que consegui enviá-lo e que ele se perdeu. Vou tentar reproduzí-lo novamente e peço perdão caso vocês recebam duas mensagens minhas bem parecidas.

    Meu nome é Daniel Simões. Sou ex-estudante de Direito (tranquei o curso no 4° ano) e agora eu estudo na Unesp a minha verdadeira vocação, que é a Medicina Veterinária.
    Fiz esse breve resumo da minha vida acadêmica, pois comecei a escutar o Xadrez Verbal por incentivo de uma professora de Geografia do cursinho, a Thais Formagio, que recomendou o Podcast como forma de estudo de atualidades. Bom, o vestibular já passou, mas eu ainda não tiro vocês do ouvido, que são minha companhia enquanto eu lavo a minha louça.

    Eu gostaria de agradecê-los pelo excelente trabalho que vocês fazem e por terem contribuído, mesmo que um pouquinho, para o meu ingresso na Unesp. Espero que o podcast se mantenha no ar por quanto tempo vocês desejarem e desejo todo sucesso.

    Sem mais delongas, por favor mandem um abraço para a minha professora Thais e também um beijo para a minha namorada Danielle, que está de quarentena aqui em Botucatu comigo. Ela é estudante de Biblioteconomia na UEL em Londrina e eu não sei se é possível sentir mais orgulho de alguém como eu sinto dela.

    Um abraço para vocês dois, mantenham-se hidratados e longe do Covid-19. Até a próxima!

  • José Diogo disse:

    Sou José Diogo, Vulgo Zedi, falo de Bangu, zona oeste da Cidade Maravilhosa! Estudante de Licenciatura Plena em Física na Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro! Conheci o Xadrez Verbal a muito tempo, mas comecei a ouvir semanalmente a aproximadamente 6 meses! Ouço tbm o Fronteiras e comecei a ouvir o Repertório. Devo dizer inclusive que o Fronteiras Invisíveis do Futebol é a ideia de tema para podcast mais legal que eu já vi! Sou jogador de Rugby e Filipe, qual seu problema com o esporte? rs… Sou fã demais de vcs Felipe Figueiredo e Matias Pinto! Mandem por favor um abraço para mim, para minha amada esposa Alice e para nosso filho Pedro! Parabéns pelo excelente trabalho e Fiquem Firmes!

  • José Carlos Junior disse:

    Só uma correção: “no cafofo do Bin Laden” é na verdade “no cafofo do Osama”. Só de lembrar dei risada aqui kkkkkkkk melhor quadro do Casseta & Planeta.

  • Michel Franklin Cardoso Sobrinho disse:

    Olá Filipe e Átila.

    Fiquei muito feliz quando soube deste programa extra. Sobre a irresponsabilidade daqueles que deveriam ser exemplo gostaria de manifestar algumas questões:
    Na própria bíblia há inúmeros exemplos de pessoas escolhidas por Deus, que estavam passando por situações que demandaram prudência e assim o fizeram:
    1 – Morte no Egito (Êxodo 12)
    2 – Davi escondido na caverna de Adulão (1 Samuel 22-24)
    3 – José e Maria fogem para o Egito (Mateus 2:13-23)

    Se até José e Maria que estavam com o filho de Deus nos braços seguiram o que determinaram, o quê estes pseudo líderes pensam que são para não obedecerem as autoridades? Autoridade que deve ser obedecida de acordo com a própria bíblia (Romanos-13).

    Parabéns pelo programa.

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar algumas tags HTML:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>