Fronteiras Invisíveis do Futebol

Fronteiras Invisíveis do Futebol #76 Filipinas

OUÇA O PODCAST

Azkals

Respeitando a nossa rotação de continentes (viu dona FIFA?), retornamos à Asia, com um país que recentemente celebrou 120 anos de independência. Quer dizer, mais ou menos. A atual República das Filipinas é um arquipélago gigantesco, com milhares de ilhas e, por isso, uma História muito rica, cheia de relações internas e desconhecida pra nós. Agora, menos, mas é bem complexo.

Também relembramos a chegada dos espanhóis, o domínio dos EUA, as batalhas travadas nas ilhas durante a Segunda Guerra Mundial, a ditadura de Ferdinando Marcos na Guerra Fria, tudo isso em um país em que o futebol…não é o esporte mais popular. Nem o segundo. De qualquer maneira, o principal jogador filipino foi um craque histórico do Barcelona!

Posts Relacionados

11 comentários em “Fronteiras Invisíveis do Futebol #76 Filipinas”

  • Hey caras, na parte das celebridades quero adicionar mais dois aqui, os atores de The Good Place (série foda demais, muito bem produzida, engraçada e que toca em temas sociais importantes, disponível na Netflix e recomendo a todos), o filipino-candense Manny Jacinto, que interpreta Jason Mendoza e o filipino-americano Eugene Cordero, o Pillboi.

  • José Carlos Junior disse:

    Parabéns pelo trabalho, Matias e Filipe! Agregando mais conhecimentos às minhas aulas de História e indicando sempre os podcasts (Xadrez e Fronteiras) pros meus queridos estudantes.
    Talvez vocês já tenham explicado, e eu não me lembro, mas, por que não tem mais o dossiê visual no site do Xadrez Verbal? (rima não intencional).

    Abraço para vocês e mandem abraços pros ouvintes, e um beijo acalorado nas ouvintes, de Ribeirão Preto-SP.

  • Danilo Franco disse:

    Parabéns por mais um episódio fenomenal pessoal. Queria acrescentar aqui uma curiosidade que as Filipinas são uma grande fornecedora de mão de obra (literalmente) para a indústria dos quadrinhos norte americano. Isso contando já desde a década de 70 (Alfredo Alcala e Ernie Chan que trabalharam muito tempo no Conan, na Marvel, e Tony DeZuniga, um dos cocriadores de Jonah Hex), passando por Whilce Portacio um dos desenhistas superstars da Marvel nos anos 90 e um dos fundadores da Image e chegando até desenhistas atuais como Leinil Francis Yu, Francis Manapul e Jerome Opena, cujos trabalhos você tem alta probabilidade de achar na banca neste exato momento. Grande abraço.

  • Danilo Franco disse:

    Parabéns por mais um fenomenal episódio. Só uma curiosidade, as Filipinas também são fornecedores de mão de obra (literalmente) pro mercado de quadrinhos norte-americano. Isso desde a década de 70, com Alfredo Alcala e Ernie Chan (fizeram Conan, pra Marvel) e Tony DeZuniga (um dos cocriadores de Jonah Hex, da DC), passando por Whilce Portacio, um dos desenhistas superstar da Marvel nos anos 90 e um dos fundadores da Image, até hoje, com Leinil Francis Yu, Francis Manapul e Jerome Opena. Grande abraço.

  • Caríssimos, sempre um ótimo trabalho de resumo pra uma história gigante e culturalmente rica como a das Filipinas. Pude ir lá ano passado, das 7 mil e poucas conheci umas 15 ilhas, maravilhosas e realmente cada uma com sua cultura particular. Antes mesmo de ouvir o comentário de vocês, já imaginei que deveriam falar que o basquete e o boxe eram os principais esportes:
    – em uma ilhota com menos de 40 habitantes e sem infraestrutura nenhuma, lá tinha a cesta de basquete, em altura oficial e toda bem cuidada;
    – o dono de um hostel me deixou sozinho no local por 2 dias, porque resolveu viajar até Puerto Princesa para assistir a luta de Pacquiao.

    Escuto o Fronteiras (e o xadrez) há uns 2 anos, e estarei comentando mais frequentemente!
    Aguardo uma volta pela história das Américas em homenagem à Copa, como foi feito pra Copa do Mundo!

    Abraços!

  • Lucas Rocha de Oliveira disse:

    Muito bom episódio como sempre!

    Usei o episódio pra puxar assunto com a crush filipina, e aprofundei mais o conhecimento, como por exemplo de que segundo ela, o vôlei é tão popular quanto o basquete, e as línguas são praticamente de cada povo mas em geral eles falam tagalog e inglês. O tagalog acaba sendo mais comum entre eles, e o inglês acaba sendo o ” oficial”, pelo que entendi, é a mesma lógica da Bélgica, que ebtre eles o neerlandês é o mais comum.

  • Kleginaldo Galdino Paz disse:

    Esse ano o Clássico-rei do Ceará, em que o Ceará Sporting Club enfrenta o Fortaleza Futebol Clube, comemora o seu centenário. Desde de 1993 os dois maiores clubes não se encontravam na Série A. Em 2018, Ferroviário foi campeão da Série D e o Fortaleza da Série B. Portanto, o Futebol Cearense vem passando por um dos melhores momentos da sua história. Vocês bem que podiam fazer um programa sobre o futebol cearense hein?

    Sou formado em História pela UFC e acompanho vocês desde o ano passado. Abraços.

  • Boa noite, Filipe e Matias!

    Aproveitando que o Bangu está em evidência aqui no RJ, devido a sua participação na reta final do Carioca deste ano, gostaria de saber, se vcs conhecem o grande Yaya Banhoro. Atacante do alvirrubro da zona oeste, nascido em Burkina Faso e que já passou em clubes como Londrina, Santos, Ponte Preta… parece que ele veio para fazer carreira por aqui. E, se depender da galera do Bangu, o jovem burquino ficará por longos anos em Moça Bonita.

    Abraços e saudações a todos!
    .

  • GABRIEL FONSECA disse:

    Melhor Podcast! Parabéns pelo trabalho Matias e Filipe, aguardando ansiosamente o programa sobre algum país lusófono! Abraços. Sou estudante de História pela UEMG-Divinópolis.

  • Denis Machado Rossi disse:

    Na série “El Ministério del Tiempo” o episódio 7 da segunda temporada é ambientado na guerra de independência das Filipinas e na história da não rendição de uma tropa dentro de uma igreja , citada no episódio, acho que vou rever agora que escutei o esse episódio

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar algumas tags HTML:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>